A anestesiologia em prol do ser humano

Home » A » Anestesiologia

A anestesiologia em prol do ser humano

A anestesiologia é a especialidade da medicina que consiste em exercer a função de anestesiar, indispensável nos processos cirúrgicos.

Anestesista com seringa nas mãos

A anestesiologia é o ramo específico da medicina que consiste em estudar e exercer a função de anestesiar. Tido como um dos maiores avanços da medicina essa área foi descoberta no final do século XIX nos Estado Unidos, antes disso, os médicos e pacientes consideravam “normal” sentir dor durante o ato cirúrgico, mas felizmente este quadro foi revertido quando foram descobertas as primeiras maneiras de diminuir ou acabar com a dor.

Hoje em dia é quase raro ouvir falar de algum procedimento médico que não utilize a anestesia, seja em cirurgias (o procedimento mais comum) ou em exames, há sempre uma forma de ajudar o paciente a superar este momento tão incômodo.

Atualmente a anestesia se faz presente mais do que possamos imaginar, é incluída no pré, no intra e no pós-operatório e também nos partos, e o paciente que passa por anestesia passa também por uma consulta pré–anestésica, porque ao contrário do que se pensa um processo anestésico, dependendo do grau de necessidade do corpo, pode implicar em vários problemas, podendo levar até a morte.

Técnicas de anestesias

Existem praticamente três tipos de técnicas de anestesias: a anestesia geral, a anestesia regional e a anestesia local.

Anestesia geral

Paciente com aparelho de respiração

Este tipo de anestesia é indicado para as cirurgias mais complicadas, mais complexas, que envolvem mais riscos, são usadas para longas cirurgias. Pois, quando a cirurgia abrange a retirada ou a obstrução de parte de um órgão é impossível ser feita apenas com anestésicos locais.

Com a aplicação da anestesia geral, o paciente fica em estado de coma induzido, ou seja, fica incapacitado de se mover, inconsciente, geralmente respirando com a ajuda de respiradores artificiais e intubado.

Anestesias regionais

Nas cirurgias menos complexas, e que o paciente pode ficar acordado, a técnica anestésica usada é a regional, em que bloqueada a dor em apenas uma determinada região do corpo, o qual fará parte do processo cirúrgico.

Aplicando anestesia

Existem dois tipos de anestesias regionais que são mais utilizados: a raquidiana e a peridural.

A raquidiana também conhecida como raquianestesia, se baseia na aplicação do anestésico diretamente no líquor. Há algumas vantagens e desvantagens nesse método: sua principal vantagem é a rápida ação. Já a desvantagem é que há maior índice de casos de cefaleia entre os pacientes.

A peridural se baseia na administração do anestésico no espaço entre o ligamento amarelo e a dura-máter. Esse tipo de anestesia regional tem menos incidência de cefaleia entre os pacientes. Já o tempo de ação da anestesia é um pouco mais demorado e também o volume de anestésico utilizado é 10 vezes maior se comparado ao da anestesia raquidiana, causando assim maior possibilidade de toxidade.

Anestesia local

A anestesia local é a mais simples e pode ser administrada por quase todas as especialidades. É usada para bloquear a dor em apenas pequenas regiões do corpo, mais propriamente a pele.
Pode ser feita através de injeção, gel ou spray, como nos casos de exames de endoscopias digestivas, ou em outros vários procedimentos médicos que causem incômodos.

São diversas as técnicas de anestesias e com o avanço das pesquisas nessa área, o paciente pode ficar tranquilo quanto a qualquer implicação, pois é avisado de todos os prós e contras além de que, o profissional que atua nessa área é muito bem preparado e capacitado.

Veja o vídeo abaixo com uma entrevista de um médico anestesista.


Publicado por Talita
Revisado em 21/09/2017

Compartilhar

Receba novidades

Comentar